liderança feminina

Responda rápido: quantas vezes você foi liderado(a) por uma mulher? Infelizmente, a liderança feminina ainda é bem menor do que a masculina. É isso o que aponta uma pesquisa realizada pelo Instituto Ethos: 88% dos cargos gerenciais são ocupados por homens no Brasil.

Não é de hoje que as mulheres lutam para garantir posições mais igualitárias em diversos setores da sociedade. Dentro das empresas, não é diferente. Mas por que, ainda hoje, elas são minoria nos cargos gerenciais?

Neste texto, vou tratar das principais dificuldades que as mulheres encontram para crescer na carreira. Acompanhe!

Principais obstáculos na liderança feminina

Sexismo

Quando uma mulher lidera um homem, nem sempre ela tem a mesma recepção do que na situação contrária. Sim: o sexismo existe. Ainda há quem pense — inclusive dentro do público feminino — que as mulheres não têm a mesma capacidade de gestão que um homem.

Essa ideia vem de fortes influências sociais e de uma carga histórica significativa. Afinal, até algumas décadas atrás, o papel da mulher normalmente se resumia em cuidar da casa e dos filhos.

Falta de incentivo

Falando nisso, que mulher nunca ouviu um “não vai ter filhos?”. Ou, se você é mãe, provavelmente já teve que lidar com um “nossa, mas você trabalha tanto, não tem dó do seu filho?”.

Esses comentários podem não ser feitos com maldade, mas refletem um pensamento social bastante enraizado de que a mulher precisa deixar a carreira de lado para se dedicar a outras funções, e isso acaba desincentivando o crescimento profissional.

Múltiplas jornadas

Mesmo quando a mulher resolve não dar ouvidos a esses comentários e se joga na profissão, ela precisa lidar com duas, três jornadas ou até quatro jornadas ao mesmo tempo, que envolve o trabalho, os estudos, a casa, os filhos etc. Isso acontece porque a participação masculina nos assuntos domésticos ainda não é igualitária.

Síndrome do impostor

Por fim, a liderança feminina tem outro grande obstáculo: a falta de autoconfiança. Mulheres que alcançam cargos altos podem achar que não mereceram chegar até ali, desenvolvendo a famosa síndrome do impostor.

Pior ainda: sentem tanto medo de fracassar e ter que ouvir mais comentários maldosos que acabam desistindo. Esse fato foi comprovado quando mais 43% das mulheres participantes de uma entrevista da Global Entrepreneurship Monitor (GEM) disseram que o medo de falhar impede que elas liderem ações empreendedoras.

Casos de sucesso para você se inspirar

Depois de tanto obstáculo, vamos falar de quem passou por cima de tudo isso? Vou te contar que a liderança feminina é super possível a partir das histórias de três mulheres que superaram essas barreiras!

Sophia Amoruso (Nasty Gal)

A Nasty Gal é um e-commerce milionário! Sua fundadora e líder é a Sophia Amoruso, que já ganhou até série na Netflix (a Girlboss). A história dela é de inspirar qualquer uma: foi catadora de lixo, passou por vários empregos precários e já esteve até presa antes de fundar a sua marca!

Sheryl Sandberg (Facebook)

Sheryl Sanfberg é diretora de operações do Facebook, em um dos mais altos cargos da empresa bilionária. Além de ser um grande exemplo de liderança feminina, Sheryl também é bastante ativa nas lutas por igualdade de gênero no mundo dos negócios.

Luíza Trajano (Magazine Luiza)

Mas os exemplos não estão apenas no exterior, não! No Brasil, temos a Luíza Trajano, que comanda uma das maiores redes de varejo do país: a Magazine Luiza. O segredo do sucesso: uma marca alinhada com seus propósitos, que valoriza os colaboradores e que sempre busca inovar em suas lojas.

Para finalizar, não existe fórmula mágica para que essas mulheres tenham chegado no topo, mas o sucesso tem muito a ver com a autoconfiança, o investimento em uma marca pessoal e o desenvolvimento de habilidades específicas. Com trabalho consistente e um bom preparo, você é capaz de vencer os obstáculos da liderança feminina!

E aí, sentindo-se mais confiante? Então, continue por aqui e devore todos os posts sobre o assunto. Ah, siga também a minha página no Facebook para não perder as atualizações!

3 respostas

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] pessoa resiliente é capaz de lidar com problemas, superar obstáculos, adaptar-se à mudanças e resistir à pressão que diferentes situações podem causar sem entrar […]

  2. […] Quando falo na população com mais de 50 anos, é importante deixar claro que existem diferenças fundamentais na vivência entre homens e mulheres. A mulher de 50 anos sofre com desafios que, na maioria das vezes, não acometem o público masculino tão cedo. Um exemplo é a invisibilidade no mercado de trabalho. Você já parou para pensar em onde estão as mulheres com mais de 50 no mundo corporativo? E por que elas, quase nunca, estão ocupando cargos de liderança? […]

  3. […] no trabalho. Isso é importante para receber o respeito e a admiração dos colegas, facilitando a liderança e aprimorando o desenvolvimento […]

Os comentários estão fechados.