dupla jornada de trabalho

As mulheres, cada vez mais, têm conquistado o seu espaço no mercado de trabalho, mas isso não quer dizer que elas se afastaram de suas outras funções, como cuidar da casa e da família. Pelo contrário, atualmente, essa dupla jornada de trabalho tem sido um grande desafio para muitas de nós.

Pense naquele jogo dos pratos, comum nos circos, em que é preciso mantê-los rodando em cima de uma haste. Difícil não deixar nenhum cair, não é verdade? Pois é assim que muitas mulheres se encontram, tentando equilibrar os pratos da vida profissional, familiar, amorosa e, até mesmo, dos cuidados consigo mesma.

Mas será que é possível? Como essa dupla jornada de trabalho acontece e influencia na vida da pessoa? E como aliar um relacionamento familiar profundo com um trabalho significativo? É sobre isso que vamos conversar nas próximas linhas. Acompanhe!

A dupla jornada de trabalho

Apesar do nome, essa jornada pode ser mais do que dupla, afinal, muitas mulheres que escolhem ter uma carreira precisam se dedicar não só a ela, mas a sua família (composta por cônjuge e filhos ou, então, pais e outros familiares), a sua casa, aos seus relacionamentos interpessoais e também a si mesmo — o que, em muitos casos, acaba ficando por último na lista de prioridades, não é mesmo?

O principal ponto é que nem sempre essa rotina sobrecarregada opção da maioria das mulheres: isso acaba acontecendo, muitas vezes, sem que ela perceba. Na maioria dos casos, a mulher já tem um emprego, se casa e adiciona em suas tarefas do dia os cuidados domésticos e com o parceiro. Em seguida, vem o filho, que se encaixa nesse dia a dia atribulado. E quando ela percebe, já está cuidando de mil coisas ao mesmo tempo.

A forma como essa jornada influencia na vida das mulheres

Muitas coisas a fazer, pressões no trabalho, culpa por achar que não está se dedicando o suficiente ao casamento nem cuidando dos filhos como deveria: o resultado dessa realidade são mulheres cansadas e estressadas, muitas vezes sem tempo para cuidarem de si mesmas como deveriam e gostariam— praticando uma atividade física, mantendo um hobby ou apenas tirando um tempo livre.

Além do desgaste físico e mental, essas pessoas podem sofrer com falta de organização e de disciplina gerados pelo excesso de atividades, piorando ainda mais a situação.

Ou seja, em vez de dar conta de mais e mais coisas, a mulher acaba se perdendo e não produzindo direito em nenhuma das suas atividades: o trabalho não rende como poderia e a família não recebe todo o carinho que ela tem a oferecer, pois está sempre sobrecarregada e nervosa.

As maneiras de aliar todas as tarefas

Se você está se identificando com o que estou dizendo, a primeira atitude para lidar com essa situação, é não se culpar! Você está fazendo o melhor que pode para a sua família, para sua a carreira e por si mesma.

Em sua casa, tenha uma conversa franca com seu cônjuge e/ou outras pessoas que moram com você para que possam dividir as tarefas domésticas. Não seria melhor se, ao chegar em casa tarde, o jantar já estivesse pronto e você ficasse apenas com a missão de lavar os pratos e colocar as crianças para dormir? Peça ajuda e tire esse peso das suas costas: mais do que uma pessoa que faz mil tarefas, a sua família ganhará muito ao compartilhar bons momentos com você.

No trabalho, tente se organizar e priorizar as suas tarefas. Muitas empresas têm exigido grandes esforços de seus profissionais, mas lembre-se que a sua saúde — física e mental — vem em primeiro lugar. Se a pressão for grande demais, converse com os gestores abertamente e proponha metas mais humanas (tanto para você quanto para seus colegas).

A dupla jornada de trabalho é um desafio, mas vem acompanhada de grandes realizações, tanto ao ver o seu trabalho dando frutos como acompanhar a sua família crescendo feliz. Com equilíbrio e serenidade, você vai dar conta de tudo!

Quer ajudar outras mulheres que também estão enfrentando uma dupla jornada? Compartilhe este conteúdo em suas redes sociais!