como dar feedback

No mundo corporativo atual, os profissionais dos mais diferentes cargos anseiam por saber como está o desenvolvimento do trabalho: estou gerando resultados? O que faço de melhor? Há algo que poderia ser melhorado? Estas são algumas das perguntas que eles gostariam que tivessem respostas frequentes.

Nesse cenário, cabe aos responsáveis pelas empresas saber como dar feedback à sua equipe, garantindo uma comunicação mais aberta, a conscientização dos colaboradores e, consequentemente, melhores resultados.

Esse assunto interessa a você? Então, vamos conversar mais!

O que é feedback?

Em poucas palavras, podemos definir feedback como um retorno dado a uma pessoa a partir de seu trabalho executado, suas atitudes e comportamento.

Parece simples, mas essa ação surte grandes resultados quando bem aplicada em uma companhia. Isso porque, como eu disse no princípio deste texto, todos nós, seres humanos, queremos saber se estamos fazendo a coisa certa. No âmbito empresarial, em que são muitas as cobranças por metas e sucesso dos projetos, esse retorno é ainda mais importante.

Um feedback bem executado é capaz de influenciar o clima de toda a organização e a motivação da equipe, ou seja, é essencial.

Por que a inteligência emocional é importante nesse momento?

Mas antes de dar o feedback para um colaborador ou time, é preciso analisar a forma como você vai fazer isso. Afinal, estamos falando sobre conversas com seres humanos, em que serão apontadas virtudes ou atitudes que precisam ser melhoradas.

Esses dois pontos precisam ser passados ao ouvinte de maneira bem elaborada, pois pode haver consequências: elevar demais um profissional que não está pronto para isso pode fazer com que “o sucesso suba à cabeça”, por exemplo. Da mesma forma, fazer críticas a qualquer pessoa é sempre delicado, pois elas podem não ser bem aceitas ou, até mesmo, desmotivar um profissional que tem tudo para ser brilhante.

Além disso, você precisa estar preparado para as respostas ao seu feedback. Os colaboradores podem não concordar com o seu ponto de vista, fazer questionamentos ou, ainda, criar conflitos. Para resolver essas situações, a inteligência emocional é fundamental, pois ela vai ajudá-lo a manter o equilíbrio, o tom amigável da conversa e evitar que isso seja levado para o lado pessoal.

Como dar feedback positivo e negativo?

Como eu disse, o momento do feedback pode ser um pouco delicado, mas, seguindo alguns passos, a conversa vai acontecer de forma leve e bastante produtiva para todos os envolvidos. Anote algumas dicas!

Apresente um resumo sobre o que será falado

Chamar uma pessoa ou toda a equipe para uma reunião pode gerar ansiedade nos participantes. Para evitar que esse nervosismo natural exalte os ânimos sem necessidade, comece a conversa já explicando que essa é apenas uma reunião de feedback, sem cobranças ou possíveis punições. Apenas uma prática saudável para o bom desenvolvimento de todos.

Comece pelos pontos positivos

Falar primeiramente sobre os pontos positivos vai fazer com que os ouvintes se sintam animados e mais receptivos para o que possa vir a seguir.

Veja o exemplo de um colaborador que recebeu primeiro a notícia positiva:

  • eu tenho que melhorar a minha capacidade de ouvir, mas já sei que sou bom em resolver imprevistos.

Agora, veja como reage quem ouve o ponto negativo primeiro:

  • eu sou bom em resolver imprevistos, mas do que isso adianta, se tenho de melhorar a minha capacidade de ouvir?

Percebeu a diferença?

Seja empático e específico

Ir direto ao ponto, mas sempre com empatia, além de ficar atento à sua linguagem corporal, ajuda na maneira com que os ouvintes vão receber a sua avaliação. Por outro lado, dar voltas demais pode fazer com que os colaboradores não entendam o que você está querendo expressar.

Tente equilibrar as suas palavras por meio de um discurso profissional, sem deixar de lado o aspecto humano, se colocando no lugar da pessoa que está recebendo o feedback — especialmente se forem pontos negativos.

Com este conteúdo sobre como dar feedback eu espero ter ajudado você a agir nesse momento delicado, mas essencial para o crescimento não apenas da empresa, mas, principalmente, dos profissionais.

Agora, me conte como você costuma agir nesses momentos? Quais são suas dificuldades e estratégias? Vamos trocar experiências nos comentários!