Conflitos no trabalho são praticamente inevitáveis. Afinal, trata-se de um ambiente composto por pessoas diferentes, com variadas opiniões e formas de reagir às situações.

Mas apesar de serem comuns, nem sempre é fácil lidar com esse desafio — seja você a pessoa que está no meio do impasse ou o profissional destinado a mediá-lo (como um gestor ou o responsável pelo RH).

A boa notícia é que, apesar de desgastante, um conflito no trabalho pode ser solucionado de forma positiva. E, no final das contas, ele ainda pode ajudar tanto no crescimento profissional dos colaboradores quanto no fortalecimento da equipe como um todo.

Quer saber mais sobre o tema? Vamos continuar conversando!

As consequências dos conflitos no trabalho

Além de desagradáveis para as pessoas, essas situações podem trazer sérios problemas para o ambiente corporativo. Isso porque elas refletem diretamente em alguns aspectos, como:

  • clima organizacional negativo, tanto entre os envolvidos quanto para os demais membros da equipe;
  • queda da qualidade do trabalho, proveniente da insatisfação dos colaboradores ou, até mesmo, da falta de comunicação gerada pelo conflito;
  • ineficiência no atendimento ao cliente, que pode não ser atendido com a presteza e/ou simpatia que ele merece;
  • disputas e rivalidades, que trazem apenas desgastes para a organização.

Viu só como toda a empresa pode ser prejudicada? Portanto, agir o mais rápido possível é fundamental para que o conflito seja redirecionado para um resultado positivo. Mas atenção: é preciso saber o momento certo de interferir, para que a situação não piore com o calor do momento. Esfriar a cabeça é sempre a primeira opção para todos, certo?

As formas de lidar com esse desafio

Já me adiantei dizendo que esperar a poeira baixar é a melhor forma de começar a lidar com os conflitos no trabalho. Outras atitudes importantes são as seguintes!

Escute

Uma história sempre tem 3 lados: o lado de uma pessoa, o da outra pessoa e a verdade. Portanto, esteja pronto para ouvir atentamente todos os envolvidos e não busque, necessariamente, a razão. Afinal, ela pode nem existir ou existir de várias formas possíveis.

Medir o conflito requer, muitas vezes, a habilidade de equilibrar a posição de todos em uma balança e optar pelo melhor para a empresa, sem fazer com que ninguém fique insatisfeito. Desafiador, não é mesmo?

Foque no problema

Olhar para o problema e buscar uma solução é muito mais razoável (e profissional) do que ficar apontando culpados, certo? Mas, como seres humanos, nem sempre é isso que acontece.

Por isso é tão importante que a empresa (ou o gestor) tenha um código de conduta — uma linha de raciocínio que é seguida em todas as situações como essa. Assim, será possível lidar com os conflitos sempre de maneira parecida e os colaboradores não se sentirão injustiçados.

Respeite as diferenças

A diversidade tão valorizada hoje em dia dentro das organizações pode ser o gatilho para muitos conflitos, mas isso não é ruim, de forma alguma! O problema não são as diferenças, mas a incapacidade de respeitá-las.

Quando o respeito é o mediador dos conflitos, a solução chega de forma muito mais rápida — e compartilhada. Lembre-se que as pessoas tendem a aceitar com mais facilidade as soluções que são construídas em conjunto.

A importância de estar preparado para a situação

Se você trabalha no setor de Recursos Humanos, sabe que a sua capacidade de lidar com situações como essas diz muito sobre a sua imagem profissional, não é mesmo?

Por isso, mais do que tentar evitar os conflitos no trabalho (que fogem do seu controle), é preciso saber lidar com elas de forma respeitosa, amistosa e empática. Assim, além de resolver o problema, os colaboradores terão em você uma pessoa em quem confiar — e ajudarão a construir a sua boa imagem.

Gostou da nossa conversa de hoje? Que tal continuarmos a nossa interação nas redes sociais? Estou no Facebook, Instagram, YouTube e LinkedIn.