black lives matter

Tudo começou como uma hashtag e logo se transformou em organização — essa é a história do movimento #BlackLivesMatter. Em tradução livre, posso nomeá-lo como “Vidas Negras Importam” e, por isso, é considerado um dos principais movimentos antirracistas da atualidade.

Sua criação aconteceu em 2013, nos Estados Unidos. Desde então, faz parte dos noticiários de todo o mundo, fomentando um importante debate racial.

Para ficar por dentro desse assunto, trouxe mais informações sobre esse movimento antirracista. Veja o seu impacto no cotidiano!

Por que o movimento Black Lives Matter ganhou projeção?

Em 2012, o jovem Trayvon Martin foi morto a tiros pelo segurança George Zimmerman. No ano seguinte, o segurança foi liberado de todas as acusações, sem ter que cumprir pena pelo assassinato. Isso causou um sentimento de revolta e impunidade, com uma resposta que começou a ser capitaneada pela ativista Alicia Garza.

Foi ela que cunhou o termo “Black Lives Matter”, como forma de denunciar o racismo estrutural que continuava a vitimar pessoas negras — especialmente, nos Estados Unidos.

Desde então, muitos outros casos aconteceram. Philando Castile, professor, foi morto em uma abordagem policial, mesmo sem resistir e após informar que tinha uma arma legalizada em seu carro. Breonna Taylor foi morta a tiros em uma ação policial, enquanto dormia em casa.

Em 2020, o que deu ainda mais projeção ao movimento foi o caso de George Floyd. Após tentar passar uma cédula de 20 dólares que foi considerada falsa, Floyd ficou sob custódia da polícia. Em determinado momento, o oficial Derek Chauvin o imobilizou, apoiando o joelho em seu pescoço por mais de 8 minutos. Mesmo que Floyd estivesse sem capacidade de reação e dizendo que tinha dificuldade de respirar, Chauvin permaneceu imóvel — e Floyd faleceu por asfixia.

As cenas foram gravadas pela câmera de corpo de outros policiais e por transeuntes. Com a viralização das imagens, os protestos eclodiram.

Quais países realizaram manifestações com essa bandeira?

Os Estados Unidos costumam ser o epicentro das manifestações que envolvem o Black Lives Matter. Em 2020, após o caso de George Floyd, o mesmo aconteceu. Diversas manifestações em apoio ao movimento ocorreram em vários estados e dezenas de cidades. No entanto, outros países também se juntaram.

Foi possível observar manifestações na Inglaterra, Austrália, Japão, Alemanha, França e Austrália. O Brasil também contou com algumas manifestações do tipo, especialmente concentradas na Avenida Paulista, em São Paulo.

Quais são as reivindicações do movimento?

Mais do que realizar protestos, o Black Lives Matter é um movimento que visa à transformação social. As pautas se adaptam às novas necessidades, mas giram em torno, principalmente, do combate ao racismo.

O movimento busca, por exemplo, o fim da injustiça racial, o combate à brutalidade policial e a reforma do sistema de justiça norte-americano.

Outras pautas envolvem direitos humanos em geral, acesso à saúde e à educação, bem como o alcance de equidade entre os cidadãos. No final, trata-se de eliminar os impactos do racismo estrutural que afeta a sociedade como um todo.

Além de tudo, o movimento busca estimular o debate, que é tão necessário. Temos (e eu me incluo nessa) que começar a tratar das desigualdades raciais e agir da forma que pudermos, para equilibrar a balança. É nosso dever cobrar mudanças de nossos representantes políticos, mas também acredito que precisamos partir para a ação — do mercado de trabalho ao dia a dia.

Então, conhecer esse movimento, entender as suas pautas e reconhecê-las como sendo válidas é essencial para ser uma pessoa antirracista, de fato.

O movimento Black Lives Matter já se consolidou como um dos mais importantes da nossa geração, quando o assunto é o antirracismo. Com o debate promovido por ele, minha dica é aproveitar a conversa para começar a implementar mudanças reais.

E, por falar em pautas sociais essenciais, veja qual é o significado de empoderamento feminino e saiba por que ele importa!