autopromoção

Divulgar seus produtos e serviços pode ser um processo desafiador. Por isso, muitas pessoas caem no erro de apostar em estratégias de autopromoção, anunciando suas qualidades sem antes entender qual o verdadeiro papel da marca.

Isso pode ser um erro e é preciso desconstruir essa ideia o quanto antes e apostar em estratégias mais consistentes. Bem diferente da autopromoção, o personal branding é a chave para promover seus serviços de forma orgânica e natural. Quer entender melhor as diferenças entre as duas estratégias? Então confira o post que preparei para você.

O que é autopromoção?

Você já teve contato com profissionais que só falavam sobre si mesmos e sobre como haviam conquistados novas posições e habilidades? Normalmente, essas pessoas costumam ser bastante repetitivas e incisivas, afirmando que o consumidor precisa tomar decisões com urgência e a qualquer custo.

A autopromoção é exatamente isso. Ela é uma maneira de se divulgar e está ligada à como a pessoa se enxerga enquanto profissional e à sua tentativa de se destacar perante os outros.

Essa técnica é muito vista na internet por profissionais que estão perdendo espaço para a concorrência e precisam apelar ao boca-a-boca, trazendo um senso de urgência para se destacarem.

No entanto, apesar de bastante utilizada, essa estratégia pode causar prejuízos, arruinando sua credibilidade e fazendo com que a imagem da marca fique desgastada no mercado.

O que é personal branding?

Diferentemente da autopromoção, o personal branding não é pautado na tentativa de se destacar a qualquer custo, e sim em uma estratégia para que o público enxergue você em decorrência da imagem que passa. Resumindo, enquanto a autopromoção é pautada em você falando sobre si mesmo, o personal branding faz com que as pessoas falem sobre você.

Para isso, é preciso seguir uma estratégia consistente que definirá como você se coloca no mercado. Por exemplo, é importante que a marca encontre um nicho no qual ela se encaixa.

Também é necessário criar uma identidade que mostre ao público qual a visão e os valores da empresa, qual o tom da comunicação e como ela deseja ser vista. Nesse aspecto está também a identidade visual, que deve ser incorporada em toda a comunicação.

É preciso que você crie um personal branding consistente com a imagem que deseja passar. Por exemplo, se a marca vai ter um caráter mais didático, vale a pena investir em conteúdos informativos e buscar mentores para melhorar sua autoridade no assunto.

Qual a importância do personal branding?

Investir na gestão da sua marca pessoal é fundamental para entender qual a imagem que você deseja passar, quais suas potencialidades e como se posicionar no mercado. Tudo isso é necessário antes de pensar em qualquer tipo de divulgação de seus produtos ou serviços.

Ou seja, com uma estratégia consistente, seus potenciais clientes irão contratar seus serviços não por insistência ou por senso de urgência, e sim porque saberão que você é referência no assunto e está preparado para oferecer a melhor experiência.

Concluindo, a autopromoção pode até ser uma forma eficiente de conquistar algumas vendas e clientes. No entanto, apostar em uma estratégia de personal branding é a melhor forma de se destacar da concorrência e se manter no mercado de forma sólida.

Para isso, vale a pena buscar cursos e palestras sobre desenvolvimento pessoal. Quer conferir um conteúdo interessante sobre o assunto? Então confira minhas palestras.